Faculdades EST - II Congresso Internacional da Faculdades EST 

Ambiente EaD

Preencha os campos abaixo para efetuar o login


Dúvidas no acesso?

Verifique abaixo o e-mail de suporte da área desejada e entre em contato:

Portal Educacional: ti@est.edu.br

Webmail: informatica@est.edu.br

Catálogo da Biblioteca: biblioteca@est.edu.br

Ambiente Virtual: ead@est.edu.br





II Congresso Internacional da Faculdades EST 

Click to view in English | Pulse para ver en Español

No meu país posso detectar a existência de dois impulsos importantes para a compreensão de cultura. O primeiro é o que se poderia chamar de apolíneo. Este depende principalmente da razão, da ordem, da medida, da correção e quase sempre da simetria. Neste sentido a cultura é o que aprendemos nas escolas, na família, nas igrejas por meio de estudo, pesquisa e experimentação transformados num corpo de conhecimento e de doutrinas... [...] Mas há outro impulso cultural muito forte no Brasil. Trata-se do impulso dionisíaco. Este nível de cultura expressa-se principalmente nas classes populares e se relaciona muito mais com as emoções do que com o intelecto. É visível em festivais populares como carnaval, procissões religiosas, partidas de futebol, cultos pentecostais e carismáticos e terreiros das religiões de origem africana. Tais eventos dão ênfase à imaginação, à dança, à fantasia e à música.[1]

[1] MARASCHIN, Jaci. Da leveza e de beleza: liturgia na pós-modernidade. São Paulo: ASTE, 2010. p. 20-21.

Evento 

Sob o tema amplo “Religião, mídia e cultura”, o II Congresso Internacional da Faculdades EST pretende refletir a partir das diferentes áreas do conhecimento e, em especial da Teologia, sobre o papel da religião na cultura, assim como sobre o papel da cultura na religião, a partir do contexto latino-americano e brasileiro, nossos dramas e nossas paixões. Em especial, queremos olhar esta relação a partir do chamado fenômeno da midiatização da cultura, entendendo a mídia, mais do que mero meio, como mensagem (McLuhan), simulacro e simulação (Baudrillard) do que pressupomos ser a realidade. Em que medida a cultura e a mídia são hoje também uma expressão religiosa? Em que medida a mídia influencia o campo religioso e as suas tradições? O que está embutido nestas relações todas?

Sabemos que esta relação não é uma relação neutra e despretensiosa. Nunca foi. Há claros interesses de toda ordem, principalmente política, econômica, social e religiosa, que determinam as condições e os impactos da relação. Ao mesmo tempo, nos meandros e nas brechas da relação, algo acontece e espaços de resistência podem ser pensados e articulados.

Tomemos como exemplo o evento da Copa da FIFA, no Brasil, que tem o elemento cultural do futebol, e que a mídia diz ser uma paixão brasileira. Em que medida o próprio futebol não se caracterizaria como uma expressão religiosa e, em que medida, a controvertida Copa do Mundo não estaria assumindo aspectos do religioso? O mesmo zelo, esforço e investimento empreendido na construção dos grandes templos medievais, no passado, são usados hoje na construção de arenas e estádios de futebol, por exemplo. Se estas suspeitas empíricas se confirmam, qual seria o impacto deste fenômeno nas religiões institucionalizadas, como a Igreja? O que tem a Teologia, enquanto voz profética, a ver com o futebol, com a Copa do Mundo e tudo o que circula em torno deste evento esportivo, cultural e midiático, mas também comercial e político?

Uma outra questão que o tema carrega. Pensar a religião na interface com a cultura e a mídia, como fenômeno cultural, não é algo novo. Queremos, portanto, mais que isto. Pensar a religião a partir da interface é reconhecer que não temos campos fechados e seguros, apolíneos, como diria Maraschin. Qualquer pensar relevante acontece justamente, dionisiacamente, na interface, na relação, nas beiradas do mundo, na margem da vida. Segundo DaMatta, é impossível pensar cultura, pelo menos no nosso contexto, de forma linear, com um princípio, um meio e um fim. Cabe-nos, sim, a tarefa de nos pensarmos como um drama, complexo, paradoxal, onde papéis se confundem e histórias e dilemas coabitam num mesmo território. O mesmo podemos dizer a respeito da religião. A mídia, parece colocar toda esta complexidade dramática no ar, virtualmente em cena. Por isso, mais do que temas relacionados, queremos pensar os temas na própria relação, nos inter-, trans- e muti-espaços do pensamento e da própria vida, na busca por respostas, sim, mas talvez, principalmente, na busca pelas melhores perguntas.

Queremos refletir estas e tantas outras questões que o tema nos faz pensar no II Congresso Internacional da EST. Organizamos para isto quinze simpósios temáticos nas mais diferentes áreas e com ampla temática, com mesas-redondas, comunicações, além de palestras com pesquisadores de renome, cine-fórum, salão de pesquisa, apresentações culturais, exposições, espaços interativos, entre outras propostas. Haverá ampla oportunidade, apoiada por uma infraestrutura montada especificamente para o Congresso, de encontro, discussão, planejamento, fomentando criatividade e inovação com qualidade e aprofundamento.

Esperamos cerca de 500 partici

pantes do Brasil, América Latina, América do Norte, Europa, África do Sul, para estar conosco no nosso belo campus, no Morro do Espelho, em São Leopoldo/RS, e região.

As inscrições para comunicações e participação abrem em março de 2014.

Seja bem-vindo, bem-vinda!

 

Realização:                          

                                     

EST


Apoio:

CAPES CNPqAspas

 


Compartilhe:


EST nas Redes Sociais
Rua Amadeo Rossi, 467, Morro do Espelho - São Leopoldo-RS - CEP: 93.030-220 - Telefone: (51) 2111-1400 - FAX: (51) 2111-1411 - E-mail: est@est.edu.br